Aplicativo e câmeras reforçam segurança da Capital durante a Operação Boas Festas

0
6
O projeto é baseado em um parecido e desenvolvido em Nova Iorque, nos Estados Unidos – (Divulgação Notícias MS)

A Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) e a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) apresentaram na manhã desta sexta-feira (21.12) como é operacionalizado o sistema desenvolvido pela entidade chamado Cidadão Integrado.

O primeiro local a contar com a tecnologia são as unidades ligadas ao 1º Batalhão da Polícia Militar (BPM), responsável pela segurança de toda a região central de Campo Grande, onde concentra a maior movimentação nesta época do ano.  O projeto é baseado em um parecido e desenvolvido em Nova Iorque, nos Estados Unidos.

O acesso é feito por meio de um aplicativo para celulares criado pela CDL e as polícias Militar e Civil possuem todo alcance para acompanhar a movimentação. Em cada batalhão e delegacia de área também será instalada uma TV/computador, que permite o monitoramento dos pontos que compreende a unidade.

Outra característica positiva do Sistema é um botão de pânico para acionamento imediato das forças de segurança, que também é ativado por alarmes fazendo com que a notificação seja espalhada para todos os cadastrados, e as forças policiais acionadas para atender a ocorrência.

Segundo o secretário da Sejusp, Antonio Carlos Videira, essa é uma tecnologia inovadora e a principal vantagem é a rápida resposta, uma vez que quem estiver mais próximo da ocorrência poderá atender. “A medida vai nos auxiliar na prevenção de crimes contra o patrimônio como roubos e furtos, principalmente no comércio e em vias públicas. Não é só uma atuação em caráter preventivo, mas também repressivo. As imagens do aplicativo facilitam a identificação dos autores e veículos, além do modo de agir”, pontuou.

As próximas unidades que deverão contar com esse sistema são: a 1ª Delegacia de Polícia Civil (DP), Batalhão de Choque (Bchoque), 10º BPM, Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Banco, Assaltos e Sequestros (Garras), Grupo de Operações e Investigações (GOI). “Essas são localidades onde nós temos e que precisamos fomentar principalmente o sistema de monitoramento, otimizando assim os trabalhos do policiamento preventivo/repressivo com economia e celeridade”, enfatizou o secretário.

O presidente da CDL, Adelaido Vila, destaca que a iniciativa é uma forma da sociedade civil organizada contribuir com a segurança pública, não gerando custos para o Estado. “Esse projeto foi trazido dos Estados Unidos para São Paulo e agora estamos implementando aqui. É algo muito simples e fácil de operar, sem a necessidade de muitos equipamentos”, explicou.

Conforme o comandante do 1º BPM, tenente-coronel Claudemir de Melo Domingos Braz, o sistema desburocratiza o 190, canal de atendimento da população com a polícia. Além agilizar o tempo resposta de um atendimento.

Para integrar o programa os lojistas associados devem fazer um cadastro autorizando acesso às imagens, especialmente das áreas externas dos estabelecimentos. Moradores e quem tiver interesse também podem participar. “A CDL vai incentivar a participação da comunidade. Atualmente estamos com 50 câmeras em Campo Grande, a meta é chegar a mil até o julho de 2019″, disse Adelaido Vila.

As câmeras de monitoramento já estão instaladas em lojas localizadas em diversas regiões da Capital, entre elas as ruas Barão do Rio Branco, Cândido Mariano, 14 de Julho, 13 de Maio e avenida Mato Grosso. (Regiane Ribeiro – Sejusp-MS)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA